sábado, 2 de janeiro de 2016

Resenha de Vermelho como Sangue - Salla Simukka


Uma paisagem gelada na Finlândia.
Uma escola.
Três estereótipos de jovens do ensino médio e da classe média.
Uma garota “esquisita”.
O que eles têm em comum? É o que você vai descobrir lendo Vermelho Como o Sangue, de Salla Simukka, primeiro da trilogia Branca de Neve lançado pela editora Novo Conceito.
Lumikki é uma garota tida por toda a escola como esquisita: não fala das mesmas coisas que as meninas falam; não se envolve com as suas histórias; não se interessa em parecer excessivamente boba para conquistar nenhum garoto daquela escola. Só pensa em como entrar e sair imperceptível de qualquer lugar, para nunca ser notada nem lembrada por ninguém e poder viver sua vida sem ser importunada com coisas fúteis. Melhor seria ir às suas exposições de arte.
Mas sua vida tem uma mudança drástica quando, por querer não ser vista por ninguém, entra no laboratório fotográfico e encontra 30 mil euros pendurados por lá. O que estariam fazendo ali? Quem os colocou? E por quê? Até que descobrir o motivo desse dinheiro estar ali, pendurado logo ali, acarreta um desenrolar de acontecimentos que fazem Lumikki se perguntar porquê insistiu na ideia de dizer sim para uma menina tão desconectada da realidade e de envolver com um aspirante a criminoso e um galã do time, cobiçado por todas as meninas – menos por Lumikki.
O que ela descobre é ainda maior: uma rede de corrupção e crimes ligados ao tráfico de drogas, que envolve grandes nomes da cidade de Tampere: policiais, políticos, empresários. Todos ligados por um nome: o Urso Polar. E é nesse cenário que uma releitura policial de Branca de Neve, cheia de mistérios, se desvela para o leitor, sempre atento às intertextualidades utilizadas na construção da narrativa.
Assim, Simukka prende seu leitor, e ao mesmo tempo o acaricia, fazendo com que cada página virada no livro te instigue ainda mais a continuar a leitura. Em meio a flashes de memória de Lumikki e capítulos intercalados, a história se desenvolve – e fica mais evidente o título do livro e a releitura de um dos contos mais famosos dos Irmãos Grimm.
Desvendem também o mistério desse romance policial! E descubram as pistas que Lumikki (= Branca de Neve em finlandês) segue e o motivo dela ser nossa melhor protagonista de todos os tempos!

Resenha escrita por Willer Jones