terça-feira, 5 de abril de 2016

Resenha: A Fortaleza Do Dragão – Segundo livro da Trilogia Os Mistérios de Warthia



A Fortaleza Do Dragão
Autor(a): Denise Flaibam
Nota: 10

Nota do Resenhista:
Primeiramente gostaria de falar sobre a parte em que a autora escreve seu agradecimento. Nunca antes tinha visto um agradecimento com tanta envolvência, tanta emoção por parte da autora. As palavras que ela dirigiu a família, amigos que lhe ajudaram nessa caminhada de 2 anos até ficar pronto esse novo filho, o agradecimento a nós blogueiros que ela nos tem com muito apreço, foi muito bacana essa parte. 
Quero enaltecer também os novos símbolos do alto da página, que estão lindos tanto quanto do primeiro, e a fonte dos títulos ficaram incríveis também.
Parabéns a autora Denise Flaibam, que mais uma vez nos tira o folego, nos tornando cada vez mais Warthianos de coração e alma.

Cuidado: Pode conter Spoiler (mesmo sem querer) kkk

A partida do castelo élfico deixou claro o que Serafine não fazia idéia do que viria a frente, quais batalhas enfrentaria, quais novas pessoas conheceria, mas estava disposta a passar por tudo o que lhe fosse imposto, pelo bem de Warthia, ( mesmo não sentindo firmeza nenhuma nisso).

Ao adentrar o deserto, Serafine teve dificuldades em perceber que “terra” seria o próximo elemento que iria aprender a dominar, com o segundo mestre. Estavam a dias já viajando em busco do castelo, quando notou que sua guardiã Ondina Ývela já estava se desidratando, já que era das águas. Com mais dois dias de viagem, avistaram então um Rio, diferente pelo esperado por Jarek, mas Serafine logo percebeu que era uma armadilha. 

Depois de ver sua guardiã sofrer um terrível ataque de um dos escorpiões gigantes que apareceram, ver seus outros dois guardiões encurralados, se ver sem saída, eis que surgiram pessoas montadas em grandes corcéis, lutaram com flechas flamejantes por eles e logo foram resgatados, enquanto corriam, desnorteada por todos os acontecimentos no meio daquele monte de areia, Serafine avistou a Fortaleza do Dragão.

Depois de relaxar em uma banheira de águas limpas com sais de banho que iriam curar todos os machucados daquela emboscada no deserto, Serafine então se encontraria com o rei Jon. Mas algo que ela não sabia seria revelado naquele encontro, seus dois guardiões, Jarek e Ývela eram traidores antigos daquele reino, mas o que teriam feito ele? E para deixar as coisas mais tensas pro lado da nossa heroína, o rei a convoca para treinar junto com seus arqueiros e se tornar uma verdadeira guerreira dentro daquele reino, será que daria certo?( Não posso contar por conter Spoiler) kkkkkkk

Com a chega do herdeiro do trono do sul Luke, Serafine sentiu algo emanar da aura dele, não identificando se somente ela pressentiu aquele estranho poder. Aparentava ter em torno de 16 ou 17 anos, porém, uma onda de mistérios o encobria, suas feições eram um tanto atraentes, o que deixou nossa heroína encabulada com o príncipe de gelo

Depois de uma luta com sofrimento, Serafine achou que estaria livre para descansar, porém, nada é tão bom que não possa piorar, já dizia aquela máxima né.
Vieram problemas da parte do povo das águas, o povo da Princesa Ývela, (sim ela era uma princesa), com esses problemas, veio também o fato dela não suportar sentir um forte sentimento de amor pelo Rei Jon (que correspondia), porém por conta da maldição lançada pela sua mãe quando ela abandonou seu povo, sabia que não poderia se apaixonar.

Como se não bastasse, começaram também os problemas de Jarek e sua mãe presa no castelo, aguardando uma execução que o estava tirando do sério. Ele andava desnorteado, sem rumo, sem saber oque fazer pra salvar sua mãe. Serafine nesse turbilhão de emoções sentiu cada vez mais o espírito se manifestando tentando domina-la, e não sabia o que fazer para conter aquele impulso que sempre a tirava de orbita, quando o espírito tomava conta da situação.

Houve uma grande batalha nas terras do Oeste, onde por fim, um demônio antigo apareceu e se apossou do corpo do Rei num momento de fraqueza, e liberou um exército de amaldiçoados, a destruir a Fortaleza do Dragão. Enquanto lutavam, tentava também proteger os Sturian, povo que havia sido sentenciado à morte, mesmo sendo inocentes.

Depois de exorcizarem o demônio, fugiram pelos túneis antes desconhecidos pelo Rei, e após uma longa caminhada se afastaram de toda a confusão e ruína da Fortaleza que ficou pra trás.
Serafine sentiu que algo nela se transformará depois dessa batalha exaustiva, não conseguia distinguir bem os sentimentos, sabia que algo ruim havia despertado dentro dela, mas não identificava o que poderia ser. Despediram-se do Rei, que tomou outro caminha, ela seguiu para o próximo desafio, que seria encontrar o próximo mestre, que ainda teria que descobri-lo e aprender sobre um novo elemento, Ar.

Enquanto isso, Ývela estava para enfrentar o despertar dos leviatãs e se isso acontecesse, seria o fim de Warthia, mas ela faria de tudo para combater a tentativa de eliminar as celas e suas fugas. Além disso, o mal estava se levantando com uma força absurda, e a rainha das trevas havia reunido forças que ninguém imagina, salvo aqueles que a seguia. O Rei Maltrus havia encarcerado seu meio irmão Demétrios, tirado suas forças, para um único propósito, oferece-lo em sacrifício a Rainha das Trevas:

“Prepare-se, Demetrius, pois eu vivi o inferno. Eu sou o inferno. E eu trarei o inferno até vocês."

Warthianos de carteirinha vem ai  As Brumas de Ébano, terceiro livro da série Os Mistérios de Warthia.